GAF

GAF TALKS CEO mundial da Monsanto alerta para escassez global de áreas aptas à agricultura

O CEO mundial da Monsanto, Hugh Grant, foi o principal palestrante internacional do GAF Talks, evento realizado pela DATAGRO na última quarta-feira (29), em São Paulo (SP). Em sua palestra, Grant chamou a atenção para a escassez global de áreas aptas à agricultura, utilizando como exemplo uma maçã.

Com o fruto em mãos, o executivo começou a cortá-lo, primeiramente dividindo-o em quatro partes iguais, onde três delas representam a água dos oceanos, sendo que a maioria é neve ou gelo e salgada demais para poder cultivar qualquer coisa.

Já a quarta parte desta primeira divisão é a representação da quantidade de solo do mundo. Mas, segundo Grant, metade disso tudo é composta por desertos, pântanos ou montanhas e cordilheiras, o que também dificulta o cultivo de alimentos.

Nesta divisão, ressaltou o executivo, restou apenas um oitavo. Então, de acordo com Grant, se você pegar este oitavo e cortá-lo novamente em quatro, três partes dele são o solo que é rochoso, úmido e frio demais; e íngreme para plantar. “Isso nos deixa com apenas 1/32 da maçã. Se você pegar este 1/32 e remover a casca, esta casca representa o solo da Terra: o solo disponível para os agricultores no mundo”, ressaltou.

Diante deste cenário, marcado por restrições de área e necessidade de aumento da produção e de adaptação às mudanças climáticas, o executivo pontuou que a agricultura do futuro passa impreterivelmente pelo aumento de produtividade impulsionado por novas tecnologias.

De acordo com Grant, será preciso produzir mais com menos recursos naturais, financeiros e insumos, onde o combate, por exemplo, de pragas e doenças nas lavouras terá que ser feito por meio de soluções integradas de produtos químicos, biotecnologia, controle biológico, entre outras inovações.

Nesta missão, o executivo salientou, ainda, que as soluções de agricultura digital serão fundamentais para o incremento da produtividade e eficiência agrícola. “Sou um grande entusiasta de ferramentas de big data no campo”, frisou.